Sort results by
Sort results by

Pesquisa com mulheres brasileiras mostra principais dificuldades para alcançar o peso adequado

Realizado a pedido da marca NESFIT, estudo mostra diferenças entre regiões do Brasil com relação a hábitos de alimentação, dietas e prática de atividade física

Uma pesquisa com 800 mulheres, feita a pedido da marca de cereais matinais NESFIT nas cidades de São Paulo, Rio de Janeiro, Recife e Porto Alegre, revelou que o desejo da maioria é emagrecer, mas metade não se empenha para alcançar o peso desejado. Os resultados mostram que, mesmo quando há esforços para o emagrecimento, eles não são efetivos e o conhecido efeito sanfona é muito frequente. O estudo faz parte da ação “É tempo de descobrir”, iniciativa voltada à informação sobre mudanças no estilo de vida para o bem-estar e alcance do peso adequado.

A pesquisa e a ação foram apresentadas em evento realizado na manhã de hoje (9/10), em São Paulo, que contou com a presença da atriz Taís Araújo, do endocrinologista da Universidade de São Paulo (USP), Dr. Alfredo Halpern, do psicólogo Dr. Marco Tommaso, do educador físico Dudu Netto, do apresentador Rodrigo Rodrigues e da gerente da Unidade Estratégica Wellness da Nestlé, Célia Suzuki.

Realizado pelo Instituto de Pesquisas Ideafix, o estudo envolveu mulheres de 18 a 45 anos, das classes A, B e C e buscou revelar a percepção das brasileiras sobre seu corpo e identificar seus hábitos em relação à alimentação, dietas e atividades físicas.

Sobre o desejo atual em relação ao corpo, 61% afirmaram que querem emagrecer. O percentual varia de acordo com a idade e alcança o maior índice (68,1%) entre as mulheres de 30 a 34 anos. As cariocas são as que mais querem perder peso (69%). Em Porto Alegre elas somam 61%, em São Paulo 59,9% e Recife é a única capital entre as cidades pesquisadas em que menos da metade quer emagrecer (46,5%).

Entre as que desejam perder peso, metade diz não fazer nenhum esforço. Para o endocrinologista Dr. Alfredo Halpern, os dados refletem uma realidade contraditória. “Elas estão preocupadas com o peso e a saúde, mas, talvez por falta de informação, não tenham hábitos como tomar regularmente um café da manhã balanceado, fracionar a alimentação com lanches entre as refeições e incorporar a atividade física à rotina. São mudanças simples e essenciais para atingir o peso adequado, mas precisam virar hábito e essa é a maior dificuldade”, diz.

As dietas são frequentes: 44% já fez algum tipo e dessas, 22% já fizeram mais de 10 vezes. No entanto, 26,6% nunca aliaram exercícios à mudança na alimentação. O Dr. Halpern alerta: as dietas restritivas tendem a facilitar o ganho de peso quando a pessoa volta à sua alimentação cotidiana. “O caminho para resultados duradouros é a reeducação alimentar, sem excluir o sabor dos alimentos, somada à prática de atividade física”, diz.

Café da manhã e cereais integrais

Quando o assunto é a regularidade das refeições, o café da manhã aparece em segundo lugar, sendo consumido diariamente por 71,5% das mulheres. O almoço é o mais frequente, realizado todos os dias por 85,5% das entrevistadas. Em terceiro, vem o jantar, com 64%. Os lanches intermediários são as refeições mais negligenciadas. O lanche da noite não é feito nunca por 57,6%, o da manhã por 50,6% e o da tarde por quase 30%.

Segundo Halpern, o café da manhã é fundamental para a manutenção do peso adequado e não deveria ser deixado de lado em hipótese alguma. “Quase 30% não tomam regularmente. Além disso, muitas vezes, a refeição não oferece os nutrientes necessários”. A pesquisa confirma: os alimentos mais consumidos no café da manhã são o pão, café, manteiga/margarina e leite. As frutas, essenciais para a oferta de vitaminas e minerais, não aparecem entre eles.

De acordo com a pesquisa, os cereais integrais, importantes aliados para a manutenção de peso, são bem conhecidos por apenas 19,5% das entrevistadas. E mesmo quando conhecem bem as características desses alimentos, o consumo é esporádico. “Os cereais integrais têm mais nutrientes, saciam mais e equilibram melhor o apetite nas outras refeições. Uma opção prática para a primeira refeição é a composição com cereais matinais integrais, leite ou iogurte e uma fruta. Começar o dia com um bom café da manhã, ter uma alimentação equilibrada ao longo do dia e praticar exercícios vão gerar bem-estar e ajudar a chegar ao peso adequado”, explica Halpern.

Quem consome alimentos feitos com cereais integrais os associa principalmente à saudabilidade, sendo que 20,2% ressaltaram o fato dos alimentos serem gostosos. “Conhecer os benefícios é o primeiro passo. Incorporar o consumo à rotina é o grande desafio”, alerta Halpern. Há opções de alimentos feitos com grãos integrais para todas as refeições: cereal matinal, macarrão, arroz, entre outros.

Falta de tempo e sedentarismo

A atividade física não faz parte da rotina de 61% das mulheres, que apontam a falta de tempo como principal razão para o sedentarismo. Para o educador físico Dudu Netto, a falta ou escassez de tempo livre não pode ser um obstáculo. “Qualquer exercício é melhor que nenhum exercício. Caminhar 30 minutos alguns dias da semana já reduz em 50% o risco de doenças cardiovasculares e ainda motiva outros hábitos importantes para a manutenção do peso adequado, como a alimentação equilibrada”, ressalta.

Entre as sedentárias, 39% se exercitariam se tivessem tempo livre, mas 10% dizem que nada as faria praticar exercícios. “É preciso experimentar. As opções hoje são diversas. Pratique um esporte, algo ao ar livre, em equipe ou com equipamentos. Existem várias oportunidades de se tornar fisicamente ativo. Uma dica para manter a motivação é variar sempre os exercícios”, afirma Dudu Netto.

Na pesquisa, São Paulo tem o menor percentual de mulheres que praticam exercícios (28,5%). De acordo com dados de 2011 do Ministério da Saúde, a capital paulista só perde para Porto Velho (RO) entre as capitais com menor índice de adultos que se exercitam. Já no Rio de Janeiro e em Porto Alegre os números superam a média nacional, com 53,5% e 50%. Em Recife, 37,6% afirmam praticar exercícios.

Corpo dos sonhos

Quase metade das mulheres que querem emagrecer (47,4%) deseja eliminar 10 Kg ou mais. Ainda assim, o corpo dos sonhos não é o magérrimo. Um total de 47,9% apontaram como ideal o estilo identificado pelas entrevistadas como “gostosa”. A preferência independe da cidade ou classe socioeconômica. Em segundo lugar ficou o estilo “cheinha”, que não chega a mostrar excesso de peso, apontado por 17,4%. A mulher magérrima foi apontada como corpo ideal por 7%.

A pesquisa revela ainda que o nível de satisfação com o corpo varia de acordo com a roupa. Em uma classificação de zero a 10, o corpo de biquíni teve a pior média, com 5,7, enquanto o jeans justo levou 7,6. O uso do biquíni quando se está acima do peso é evitado por cerca de 40% das entrevistadas.

Reprogramação psicológica

Na avaliação do psicólogo Dr. Marco Tommaso, a busca da beleza e peso adequado passa pelo crivo da autoestima. “Exige comprometimento, não cai do céu. O déficit de autoestima está presente em todos os transtornos psicopatológicos: ansiedade, depressão, problemas alimentares, entre outros. Mas eu não preciso ter um transtorno para sofrer os efeitos de uma autoestima ruim. Cai a qualidade de vida, sobrevêm a insegurança e os sentimentos de inferioridade. O primeiro mandamento da busca da autoestima é: não se lamente! Faça!”, explica.

O psicólogo ressalta ainda que as mulheres precisam estar atentas. “Mais do que padrão, quais são as minhas características? Meus diferenciais? Aquilo que me torna única? Qual a minha identidade estética? Uma dica: descubra o que pode mudar e conviva adequadamente com aquilo que não pode ou não quer mudar”.

Segundo Tommaso, outra grande barreira para o alcance do peso adequado ainda é a ideia de que emagrecer depende de um agente externo. “A manutenção de um peso adequado exige mudança permanente de estilo de vida. Mudança de comportamento e de hábitos. E um comportamento só se torna um hábito se for prazeroso. Assim como uma orientação nutricional só se torna possível na prática se for personalizada, equilibrada e saborosa”, destaca.

O psicólogo lembra que o exercício físico é fundamental, mas também tem de estar ligado ao prazer. “Psicologicamente falando, o melhor exercício físico é aquele que, mesmo cansado hoje, eu tenha vontade de fazer amanhã. Além disso, ele é um poderoso antiestresse. Só não pode se transformar em um estresse maior, e isso pode acontecer se eu tiver ambições além da minha capacidade e abrir mão do prazer”.

É tempo de descobrir

“É tempo de descobrir” é uma iniciativa da marca NESFIT e da Unidade de Cereais Matinais da Nestlé para compartilhar com médicos, nutricionistas, preparadores físicos e outros profissionais ligados à área de saúde dados e informações sobre a importância da manutenção de um peso saudável. A iniciativa está alinhada ao conceito da campanha “Operação Biquíni”, que há cinco anos incentiva as mulheres a experimentar durante 14 dias um estilo de vida mais equilibrado para sentir-se em forma para o verão. A campanha destinada ao consumidor ganha agora uma nova vertente, voltada aos influenciadores de opinião.

No site www.nestle.com.br/tempodedescobrir , profissionais de saúde e formadores de opinião em geral encontram os dados completos da pesquisa, além de informações atualizadas e comentários de especialistas sobre manutenção de peso adequado, alimentação equilibrada e prática de exercícios físicos.

Assim como a Operação Biquíni, a ação É tempo de descobrir propõe pequenas mudanças nos hábitos cotidianos - como a união de um café da manhã nutritivo, uma alimentação balanceada ao longo do dia e a descoberta do prazer de movimentar o corpo – estão ao alcance da maioria das mulheres e podem fazer toda a diferença no caminho para uma vida mais saudável e mais feliz.

Linha NESFIT - alimentação equilibrada ao longo do dia

A marca NESFIT oferece opções nos segmentos de cereais matinais e biscoitos. A linha de cereais matinais, que já contava com as versões NESFIT Tradicional e NESFIT & Frutas, ganhou recentemente o sabor NESFIT Mel & Amêndoas e passou a oferecer três opções para variar o cardápio e contribuir para que os consumidores tenham um café da manhã saboroso e balanceado. Toda a linha é feita com cereais integrais, rica em fibras, vitaminas e minerais.

A linha oferece também opções para o lanche entre as refeições com os biscoitos NESFIT, disponíveis em 10 variedades, sendo cinco doces (Cacau & Cereais, Morango & Cereais, Aveia & Mel, Leite & Mel e Coco) e cinco salgados (Integral, Centeio e Gergelim, além de duas variedades em embalagens individuais com seis pacotinhos de três biscoitos: 3 Cereais e Original). Os biscoitos da linha NESFIT podem ser uma boa opção para os lanches intermediários, importantes para uma alimentação equilibrada e um melhor gerenciamento de peso.