Sort results by
Sort results by

Nestlé debate segurança alimentar durante a Rio+20

Eventos satélites à Conferência das Nações Unidas trouxeram à discussão a produção subsidiada de biocombustíveis e seu impacto à segurança alimentar do planeta

Rio de Janeiro, 20 de junho de 2012 – Executivos da Nestlé participaram ativamente de importantes discussões em torno do desenvolvimento sustentável do planeta em eventos satélites à Conferência Rio+20, debatendo temas como segurança alimentar e agricultura sustentável; água; biocombustíveis e a erradicação da pobreza por meio de negócios inclusivos. O Chairman da Nestlé S.A., Peter Brabeck-Letmathe apresentou ontem (19), com exclusividade, o relatório State of Play on Biofuel Subsidies: Are policies ready to shift?, elaborado pelo International Institute for Sustainable Development (IISD) e chancelado pela Nestlé, que mostra um completo e atual panorama sobre a produção subsidiada de biocombustíveis ao redor do mundo e suas consequências para a segurança alimentar mundial, ou seja, o acesso da população a alimentos básicos e de qualidade.

Brabeck-Letmathe destacou durante a apresentação do estudo como essa atividade pode afetar o mercado de alimentos, elevar seus preços e comprometer a segurança alimentar para as gerações futuras, e ainda suscitou a reflexão sobre a necessidade de mais estudos em torno do impacto que a produção dos biocombustíveis terão no agronegócio.

O Vice-presidente de Operações da Nestlé S.A., José Lopez, acompanhou as sessões de debate sobre segurança alimentar e agricultura sustentável e palestrou na cerimônia de encerramento da conferência da ONU apresentando os pontos de atenção nesta temática. O executivo destacou que 50% do aumento da produção de alimentos no futuro terá origem nos mais de 500 milhões de pequenos produtores rurais e que compreender suas necessidades e satisfazê-las é fundamental se quisermos garantir o acesso das pessoas aos alimentos básicos. “A colaboração precisa ser fortalecida através dos negócios, governos, ONGs e institutos financeiros. Nós precisamos aprender uns com os outros e quebrar os silos”, afirmou Lopez. E, por fim, pediu transparência e rastreabilidade nos subsídios para a produção de biocombustíveis para que a sociedade possa compreender suas consequências e enfrentar a questão da segurança alimentar.

Em negócios voltados à base da pirâmide, o Brasil apresentou o modelo porta a porta implementado em todo o país e que vem proporcionando inclusão social nas comunidades periféricas. José Neto, gerente executivo de Vendas da Nestlé Brasil, foi um dos painelistas na discussão ‘A Framework for Action: Impact – Investing & Social Investing & Social Entrepreneurship’ e falou sobre o projeto que é alinhado ao conceito de Criação de Valor Compartilhado (CSV), adotado globalmente pela Nestlé, enfatizando o treinamento com foco em Nutrição oferecido às revendedoras, que hoje somam mais de 10 mil.