Sort results by
Sort results by

INTOLERÂNCIA À LACTOSE X ALERGIA À PROTEÍNA DO LEITE

Conheça a diferença entre os dois distúrbios que acometem especialmente as crianças

São Paulo, janeiro de 2012 – É importante saber diferenciar a intolerância à lactose da alergia à proteína do leite de vaca. Esta última é uma doença quase que exclusiva em crianças, e promove sintomas diferentes dos apresentados na intolerância à lactose, tais como lesões na pele e problemas respiratórios. Já as pessoas que apresentam a intolerância à lactose, apresentam uma tolerância individual a este carboidrato presente no leite, ou seja, existe uma quantidade que cada pessoa pode ingerir de leite e seus derivados sem apresentar os sintomas de intolerância.

Qualquer reação diferente ao consumo destes produtos deve ser imediatamente informada a um profissional médico, para que seja providenciado um diagnóstico adequado. Nos casos em que a alergia é identificada, faz-se necessária a exclusão de todos os alimentos que contenham proteínas do leite de vaca, enquanto para os intolerantes, não há necessidade de exclusão obrigatória e total do leite e seus derivados.

A intolerância à lactose é caracterizada pela deficiência da enzima lactase. Esta enzima é responsável pela quebra da lactose - açúcar presente no leite -, que promove a absorção deste nutriente, e assim, fornece energia para o organismo. A presença desta lactose intacta, ou seja, que não foi aproveitada pelo organismo, causa alterações na parede do intestino, promovendo sintomas característicos desta intolerância, tais como dores abdominais, gases e diarréia.

Grande parte da população acima dos 5 anos apresenta deficiência da enzima lactase, porém muitos não apresentam os seus sintomas, o que dificulta o estabelecimento de um diagnóstico preciso. Pesquisas demonstram que aproximadamente 70% da população adulta apresentam a intolerância à lactose. Estudos realizados em crianças entre 7-14 anos estimam uma prevalência média de 11%. Em relação à alergia, não há pesquisas que revelam o percentual de crianças alérgicas especificamente à proteína do leite, mas estudos estimam que que 6% das crianças menores de três anos apresentam algum tipo de alergia alimentar.

A exclusão do leite da alimentação em função da intolerância pode contribuir com a deficiência de nutrientes, uma vez que o leite e derivados são importantes fontes de proteínas, vitaminas, cálcio e outros minerais. Neste sentido, o cuidado com a ingestão de nutrientes presentes no leite e derivados é importante para as pessoas que apresentam a intolerância à lactose.

Nas gôndolas

Com 90% menos lactose, a opção entra no mercado de leites especiais para garantir aos pais que seus filhos não deixem de consumir outros nutrientes tão importantes do leite, como o cálcio, responsável pela formação dos ossos, construção muscular, crescimento e desenvolvimento adequados, mesmo nas dietas com restrição de lactose. O leite é vendido em embalagens de 1 litro.