Sort results by
Sort results by

Consumidores acham um sabor desconhecido mais agradável após olharem para alimentos de que gostam

Vevey, 16 de março de 2012 - O simples fato de olhar imagens de alimentos de que você gosta pode fazer com que qualquer coisa tenha um sabor melhor, de acordo com um novo estudo realizado pelos cientistas do Nestlé Research Center, na Suíça.

Seus achados, publicados na revista científica PLoS ONE, sugerem que a simples visão dos alimentos produz atividade cerebral que afeta nossa percepção gustativa.

Os participantes do estudo olharam para imagens de alimentos com diferentes conteúdos calóricos. Foi colocado, então, um sabor desconhecido em suas línguas por meio da “eletrogustometria”.

Esse processo consistiu na passagem de uma corrente elétrica fraca pela língua para criar um gosto único e distintamente metálico.

Os participantes do estudo acharam esse sabor mais agradável após observarem imagens de alimentos altamente calóricos como pizzas ou doces, do que aqueles que olharam para imagens de alimentos com baixo conteúdo calórico como melancia ou vagens.

Achados Surpreendentes

“A avaliação que uma pessoa faz de um alimento antes de comê-lo é uma etapa crucial, não apenas em termos de escolhas nutricionais, mas também por afetar a experiência do próprio ato de comer”, disse a Dra. Julie Hudry, a cientista da Nestlé que conduziu o estudo.

“Nosso trabalho revelou achados surpreendentes, nos quais continuaremos a trabalhar”.

Já era sabido que a quantidade de calorias nos alimentos é um fator importante para determinar a motivação das pessoas para comer e o prazer que um alimento específico proporciona.

As pesquisas iniciais da Nestlé mostraram que o cérebro leva menos de um segundo para avaliar o conteúdo de energia de um alimento após enxergá-lo. Mas o efeito dessa avaliação sobre o paladar ainda não está clara.

Atividade cerebral

As medições da atividade elétrica no cérebro realizadas pelos cientistas através da eletroencefalografia combinada com dados subjetivos sobre quais sabores os participantes do estudo achavam mais agradável, levou-os a concluir que a observação de imagens de alimentos tem influência posterior na percepção gustativa.

“Quando comemos, todos os nossos sentidos são estimulados simultaneamente para criar uma percepção única do alimento”, continuou a Dra. Hudry.

“O paladar é o principal responsável pela aceitação ou rejeição de um alimento, mas nosso trabalho sugere que outras indicações sensoriais podem fornecer ao cérebro informações essenciais antes da ingestão de um alimento.”

Nestlé Research Center

O objetivo do Nestlé Research Center é apoiar o desenvolvimento dos produtos Nestlé por meio de conhecimentos técnicos e científicos. Trabalha em colaboração com inúmeros parceiros externos, além da rede global de Pesquisa e Desenvolvimento Nestlé e dos Centros de Tecnologia de Produto.

Informações relacionadas:

Webside do Nestlé Research Center: http://www.research.nestle.com/nestle

Revista Científica aberta PLoS ONE:

http://www.plosone.org/home.action

Trabalho de Pesquisa da Nestlé no PLoS ONE:

http://www.plosone.org/article/info%3Adoi%2F10.1371%2Fjournal.pone.0032434

Mais informações sobre o Nestlé Research Center

· Parceiros Nestlé no King’s College de Londres sobre pesquisa de alimentos e genes:

http://www.nestle.com/media/newsandfeatures/nestle-partners-with-kings-college-london-on-food-and-gene-research

· Nestlé Research Center anuncia colaboração com EpiGen:

http://www.nestle.com/media/newsandfeatures/nrc_collaboration_epigen

· Além da cafeína: os pesquisadores da Nestlé exploram os benefícios do café descafeinado para os estados de humor e cognição:

http://www.nestle.com/RandD/News/Pages/AllNews.aspx?Name=Nestle-Researchers-Explore-Benefits-of-Decaffeinated-Coffee&Category=RandD&Title=Beyond%20caffeine:%20Nestlé%20researchers%20explore%20the%20cognitive%20and%20mood%20benefits%20of%20decaffeinated%20coffee